Gestão de Custos

Aprenda a calcular o preço de venda na sua indústria

Entre todas as atividades desenvolvidas no dia a dia de qualquer indústria, a precificação é, sem dúvidas, uma das que merecem atenção especial. Isso porque é nesse processo que se determinam o valor do produto oferecido e a lucratividade da empresa. Nesse sentido, o cálculo do preço de venda deve levar em conta uma série de fatores internos e externos à indústria, considerando desde os gastos necessários para a produção até o comportamento do mercado como um todo. Definir um valor muito abaixo ou acima da média pode trazer sérios prejuízos para o negócio. E é para ajudar você a não ter que passar por isso que vamos falar, agora, sobre este tema.

Todo gestor sabe que a concorrência acirrada faz com que sejam disponibilizados produtos cada vez mais parecidos em termos de qualidade e com preços mais baixos. Consequentemente, é comum que esse aspecto exerça forte influência na decisão de compra dos consumidores, que, normalmente, optam por aquele mais acessível. Seja para revenda, seja para o próprio consumo, é fato que uma boa qualidade, associada a preços menores, proporciona uma importante vantagem em relação à concorrência. As indústrias precisam, portanto, estar atentas a tudo isso para desenvolver estratégias e políticas empresariais que gerem um equilíbrio entre esses fatores.

Antes de qualquer coisa, tenha sempre em mente que fazer uma precificação estratégica é o que permite potencializar o lucro, ou seja, conseguir a maior remuneração possível sobre o capital investido para possibilitar a produção. Dessa forma, contar com boas práticas na hora de definir o preço de venda e entender que essa atividade deve refletir os objetivos da indústria impacta diretamente na maneira como a própria empresa se estrutura, pois ela vai se organizar melhor para cumprir as metas estabelecidas. Em outras palavras, a estrutura corporativa também vai se ajustar ao valor que seus produtos adquirem no mercado.

Como definir o preço de venda dos produtos de uma indústria

Como explicamos no início deste artigo, os preços de um produto são influenciados por fatores internos e externos à indústria. Por isso, pensar em estratégias e políticas empresariais, fazer um bom planejamento e avaliar o contexto do mercado são de extrema importância na hora da precificação. Para você entender melhor como esse processo funciona, vamos mostrar de que forma você pode calcular o preço de venda do seu portfólio de forma eficiente.

Bom, primeiro vamos focar nos processos corporativos internos. O funcionamento da indústria envolve uma série de gastos mensais, certo? São os custos necessários para a produção em si (matéria-prima, equipamentos), gastos fixos que garantem a execução de todas as atividades (luz, água, telefone, salários) e impostos (Imposto de Renda, contribuições previdenciárias, ICMS), por exemplo. Tudo isso deve ser considerado na hora da precificação, junto com a margem de lucro que você definiu. Isso mesmo! Também é preciso estabelecer quanto se deseja lucrar com a venda dos produtos, de acordo com o planejamento estratégico. São todos esses fatores somados que determinam a rentabilidade do negócio.

Para fazer esse cálculo corretamente, é preciso conhecer os seguintes termos:

  • Custos fixos: gastos que não variam de acordo com o volume de produção. Para contabilizá-los nos preços dos produtos, é preciso calcular o custo fixo unitário (CFU), que consiste em quanto cada item vai contribuir para cobrir o valor total. Esse valor é obtido a partir do custo fixo total dividido pela quantidade de produtos produzidos mensalmente;
  • Custos variáveis de produção (CVP): gastos que oscilam de acordo com o volume de produtos fabricados;
  • Custos variáveis de venda (CVV): impostos, taxas, comissões e contribuições que incidem sobre a venda. Eles são calculados a partir da soma de todos os percentuais de comissões, impostos e taxas, como ICMS, PIS, Cofins, contribuição social e Imposto de Renda.
  • Margem de lucro: é o dinheiro que deve sobrar após o pagamento de todos os custos e despesas. Quer dizer, trata-se de quanto a empresa deseja obter de lucro. Para isso, devem ser levados em consideração o valor e a demanda do produto no mercado, por exemplo. Lembrando também que o lucro é definido em porcentagem.

Com esses conceitos na ponta da língua, podemos seguir para a fórmula utilizada no cálculo para definição do preço de venda:

A precificação na prática

Para entender melhor, vamos supor que uma indústria de eletrodomésticos gaste R$ 50 para produzir uma batedeira. Este é o CPV. Paralelamente, é preciso desembolsar R$ 9 mil para cobrir todas as despesas da empresa. São os gastos fixos que a mantém funcionando. Considerando que mensalmente são produzidas 3 mil batedeiras, podemos dizer que o CFU é de R$ 3 por produto (9000/3000). Além disso, o cálculo do CVV é de 25%. Por fim, após uma análise do mercado e das metas estabelecidas no planejamento, os gestores definiram a margem de lucro em 10%. Dessa forma, o cálculo do preço de venda fica em:

Cada batedeira deve ser vendida, então, por R$ 81,53.

Como um ERP pode ajudar na definição do preço de venda

Bom, o cálculo é simples, mas existe um processo prévio que exige muito cuidado e precisão. Afinal, antes de conseguir o valor final do CVP, do CFU, do CVV e da margem de lucro, é preciso avaliar uma série de informações, que muitas vezes estão disponibilizadas em planilhas organizadas de diversas maneiras e guardadas em diferentes setores. Utilizar a tecnologia como aliada nessa tarefa é uma forma de otimizar esse processo, garantindo segurança e eficácia em todas as atividades da sua indústria.

Nesse sentido, uma boa solução ERP faz toda a diferença no dia a dia empresarial, pois ela vai centralizar as informações em um único lugar e disponibilizá-las de forma estratégica, ajudando nas tomadas de decisões. Entretanto, não pode ser um sistema qualquer. É importante que ele seja especialmente desenvolvido para indústrias, atendendo às especificidades e às necessidades desse segmento. A Brasão Sistemas leva isso em conta e, por isso, oferece um software completo, inteligente e funcional: o ERP Radar Empresarial. Com ele, sua indústria terá um controle maior das informações e poderá precificar os produtos de forma adequada e estratégica. Entre em contato com nossa equipe e saiba mais!

Você deve gostar também
Cinco dicas para fazer uma gestão de custos eficiente na sua indústria
Como reduzir os custos operacionais da sua empresa
Como reduzir os custos operacionais da sua empresa?
Gestão de custos: como reduzir os gastos e economizar?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web