Gestão Empresarial

Entenda o que é e para que serve o valuation

Na hora de crescer e dar o tão esperado passo da expansão do empreendimento, nada mais natural do que conferir se a casa está em ordem primeiro. Afinal, ter o fluxo de caixa ajustado, a precificação dos produtos em dia e ser uma referência em sua área de atuação não são apenas as metas dos sonhos de qualquer empreendedor, mas também indicadores de um conceito bastante valioso no mercado: o valuation, também conhecido como a percepção de valor que uma empresa possui.

Isso porque, quem quer se desenvolver e conquistar mais espaço em uma realidade competitiva e desafiadora, precisa ter noção do valor que sua marca tem — até mesmo para negociar com mais firmeza. E o primeiro conceito fundamental que o empreendedor deve entender sobre o valor de uma empresa é que o valuation, antes de se basear em qualquer estrutura financeira ou fluxo de caixa, é principalmente uma percepção de mercado.

Explicamos: é por meio da técnica de valuation que se pode conhecer, ou pelo menos ter uma noção bastante aproximada, de tudo aquilo que a sua empresa tem para oferecer. Trata-se de um valor que está além do que há em estoque, ultrapassa a quantidade de clientes, o preço dos produtos ou serviços comercializados. Na realidade, ele é uma junção de tudo aquilo que o seu negócio tem e também o que é capaz de trazer, receber ou gerar para um possível investidor, sócio ou comprador.

Imagine, por exemplo, que a sua empresa está se preparando para a chegada de um sócio ou investidor, que vai querer uma parte das ações ou dos lucros em troca do seu generoso investimento. Mas calma lá: o que garante que o investimento dele é, de fato, generoso, se você não faz ideia do valor da sua companhia? Ou se você tiver planos de realizar uma fusão, que garantias tem de que não vai sair perdendo?

Esses são apenas alguns dos cenários em que, estando sempre à mão do empreendedor, o valuation pode fazer uma grande diferença na mesa de negociações. Contudo, alguns cuidados são necessários na hora de fazer o levantamento desse valor: é preciso que se conte com uma percepção verdadeira do negócio, além de saber quais indicadores considerar. É por isso que vamos nos aprofundar melhor na estrutura do valuation e, depois, ver como tirar esse conceito do papel.

Entenda o papel do valuation no mercado

Compreender o valor real de sua empresa permite que você conheça melhor a maneira como ela se encaixa no mercado, explorando os aspectos que a valorizam e os que a fazem valer menos. Assim, você pode mitigar essas deficiências ao longo do tempo. Outra vantagem é que, sabendo o montante a ser investido e o valor da sua empresa, você consegue negociar a participação societária do investidor de forma mais justa.

Isso porque o valuation permite encontrar o que em inglês se denomina como Fair Value, o Valor Justo. Lá fora, ele é chamado assim justamente porque pondera todas as variáveis de uma empresa, tais como receitas, custos, despesas, ativos, passivos, crescimento, riscos, equipe, marca e mercado, por exemplo. Por fim, o empreendedor chega à valores que representam de forma realista o valor total da empresa, visto que ele considerou tudo — por isso valor justo.

Você já deve ter se deparado, por exemplo, com notícias sobre fusões e aquisições de grandes marcas. Em casos assim, geralmente o que mais chama atenção é o valor das transações, que quase sempre estão na casa dos bilhões, mesmo quando a empresa comprada é cheia de dívidas. Um exemplo recente foi a compra da Fox pela Disney. As dívidas da Fox somam US$ 13,7 bilhões, mas mesmo assim a compra foi acertada pelo valor de US$ 71,3 bilhões. Afinal, a Disney não está comprando apenas a infraestrutura da Fox, mas tudo o que ela produz e que é sucesso no mundo, caso de títulos como Os Simpsons e Titanic.

Isso acontece pois a empresa ou marca que está comprando não está pagando apenas por uma planta, uma fábrica ou um estoque, mas por todo o valor de mercado da empresa que está sendo vendida representa.

Mas associar o valuation apenas às grandes corporações é um erro comum. Num exemplo mais prático, imagine que você possui uma pequena loja em um popular shopping center que faz a troca de telas de smartphones. Muito próximo à sua banca há outra que é focada na manutenção de componentes como placas, memórias e conectores, além de vender capas e películas de proteção para as telas.

Então, vem a constatação de que, caso se unam, as duas lojas poderão ter ganhos maiores do que se estivessem atuando individualmente, além de redução de custos com ponto de vendas e folha de pagamento. Diante disso, você concorda que seria uma boa pedida considerar arregaçar as mangas e negociar uma fusão com o outro empreendedor? Mas e agora? Como saber quanto cada microempreendedor terá da nova empresa que surgirá da fusão para que a divisão seja justa? O Valuation se encarrega de responder!

Como fazer o valuation da empresa?

Tradicionalmente, e especialmente para as empresas menores e algumas startups — como as do exemplo da fusão das lojas de smartphones —, o valuation é feito com base em uma técnica que traz para o valor presente os resultados de fluxo de caixa futuros. É um dos métodos mais utilizados atualmente, sendo constituído de três etapas que ajudam os empreendedores a ter uma noção mais segura do valor da empresa. São elas:

– Estimar o fluxo de caixa (montante recebido menos o montante gasto) da empresa para os próximos períodos;

– Definir a taxa de desconto, baseando-se no risco da empresa de acordo com outras oportunidades de investimento, como a bolsa ou a poupança;

– Trazer os resultados para o valor presente e somá-los.

Como resultado desse cálculo, a empresa tem um valor relativamente bruto em mãos, mas que já ajuda a direcionar o valuation no caminho certo quando o objetivo é uma aquisição ou uma fusão. Contudo, quando falamos em investimentos, esse cálculo pode ficar mais complexo. Isso porque você provavelmente vai precisar do suporte de um contador na hora estimar o valor agregado do negócio, definir o volume de investimento e negociar a participação societária.

Entenda de que forma um bom ERP pode ajudar

Colocar um negócio no mercado, seja para venda, seja para fusão, seja para para captar investimentos, é sempre um momento delicado para o empreendedor. Como vimos, é preciso levar muitos fatores em consideração para chegar a um valuation justo e coerente. Afinal, manter o controle de todas as movimentações, valores e fluxos que podem influenciar o valor da sua empresa no mercado é uma tarefa difícil, especialmente se esse controle ainda é feito de forma manual.

A boa notícia é que com o suporte de um sistema integrado e automatizado fica muito mais fácil reunir todas as informações em um só lugar, facilitando as consultas, fornecendo dados mais precisos e ajudando na tomada de decisão. Além disso, possibilita ainda o acompanhamento do trabalho da área de vendas, garantindo o conhecimento da saída dos produtos. Um bom software ERP pode, inclusive, ajudar a fornecer dados exatos sobre os estoques, inventário, previsão de vendas, relação com fornecedores, presença de mercado e volume de saídas, todas informações que podem influenciar no valuation da sua empresa.

Na Brasão, nós oferecemos o ERP Radar Empresarial, da WK Sistemas, um dos melhores softwares do mercado para este trabalho. Por meio dele, é possível fazer inventários, orçamentos, cotações, entre outros processos, poupando seu tempo e trazendo melhorias na administração da sua empresa. Quer conhecer a solução e saber como podemos ajudar você e o seu negócio a prosperar e se tornar referência no mercado? Entre em contato conosco e saiba como esta solução pode fazer a diferença na rua rotina. Se preferir, deixe seu comentário no espaço abaixo.

Você deve gostar também
Passos para integrar módulos de um sistema de gestão em minha empresa
6 Passos para integrar módulos de um sistema de gestão em minha empresa
4 boas práticas para a gestão do inventário
[E-book] Saiba como fazer uma boa gestão financeira na indústria

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web