Blog

Saiba por que é importante se atentar às conformidades na indústria náutica

Gestão Industrial 23.07.2020 6 minutos de leitura Voltar

Estar em dia quanto às conformidades na indústria náutica é um cuidado, sobretudo, para alcançar mais oportunidades de negócios. O fato de uma empresa estar em dia com as suas obrigações legais permite, por exemplo, a participação em iniciativas públicas, como as demandas da Petrobras e da Marinha.

Para quem acha que isso é uma possibilidade remota, vale estar atualizado sobre os objetivos do governo. O fato é que há um cenário muito positivo para expansão da infraestrutura náutica do país, apesar do momento delicado em que o mundo vive e das dificuldades econômicas da maioria dos países, pessoas e empresas.

Por isso, como forma de esclarecer o que há em vista no mercado e explicar por que é importante ficar em dia com as conformidades na indústria náutica, nós preparamos alguns panoramas de mercado para apresentar neste artigo. Fique atento!

Oportunidades para quem está dentro das conformidades na indústria náutica

De acordo com matéria no jornal Folha de S. Paulo¹, o Ministério da Defesa considera que o investimento nesta pasta está em desacordo com o tamanho do país. Para resolver essa defasagem, o texto da Estratégia Nacional de Defesa foi revisado e encaminhado ao Congresso Nacional. Ele prevê um aumento de 1,3% para 2% da fatia do Produto Interno Bruto (PIB) para o setor.

O planejamento, no entanto, não parece ser apenas discurso. O investimento no orçamento militar do país teve um incremento de R$ 6,3 bilhões em 2019, o que dá margem para novas oportunidades para a indústria náutica. O anúncio do aumento do orçamento para a Defesa, inclusive, foi feito entre militares da Marinha.

O que isso significa na prática? Que a intenção é aumentar os investimentos do Ministério da Defesa, o que pode beneficiar quem estiver dentro das conformidades na indústria náutica. Aproveitar esse movimento exige atenção a duas questões primordiais.

A primeira tem a ver com o que já dissemos aqui, sobre a defasagem dos equipamentos militares no Brasil, conforme avaliação institucional. Em 2019, o diretor de gestão de programas da Marinha e gerente do projeto de corvetas, vice-almirante Petrônio, disse que “a Marinha não pensa em parar em quatro corvetas”².

Na ocasião, foi ventilado a necessidade de atualizar a frota brasileira, composta por navios de tecnologia já obsoleta, o que eleva os gastos com itens sobressalentes. Essa realidade prejudica o patrulhamento da Amazônia, por exemplo, bem como o preparo dos oficiais.

Conforme debates com entidades como o Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval) e a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), a intenção do governo é movimentar a indústria e destravar esses gargalos.

Diante de tais condições, é preciso preparo técnico e um olhar cuidadoso sobre as conformidades na indústria náutica, o que nos leva à segunda questão.

Como estar em dia com as obrigações legais e se manter preparado para oportunidades

Quando falamos em conformidades na indústria náutica estamos fazendo referência aos requisitos necessários para vender equipamentos para o setor público. Ou seja, considerando que a Marinha (e os aparelhos de Defesa como um todo) tem a intenção de renovar a frota e aumentar os investimentos na área, é importante estar apto para participar dessas licitações.

Assim, como é de conhecimento geral, as licitações envolvem algumas obrigações básicas:

  • Habilitação jurídica: contrato social regular, alterações contratuais devidamente registradas e informações sobre a empresa, os sócios, os administradores e o ramo do negócio publicamente corretas;
  • Qualificação técnica: por meio dos atestados e declarações, é preciso confirmar que a empresa tem qualificação para atender à demanda do projeto. Entre as comprovações necessárias, estão a prova de atendimento de requisitos previstos em lei especial, declaração sobre o cumprimento da lei sobre trabalho insalubre para menores e contratação de menores de 16 anos e garantia limitada a 1% do valor estimado em licitação pública;
  • Qualificação econômico-financeira: o balanço patrimonial e as demonstrações contábeis do último exercício social da empresa precisam ser entregues para comprovar essa qualificação. O cálculo dos índices contábeis, a certidão negativa de falência e o capital social mínimo são mais algumas informações que podem ser exigidas;
  • Regularidade fiscal: as certidões que provem que a empresa está em dia com suas obrigações fiscais são fundamentais: inscrição do CNPJ no Ministério da Economia, inscrição no cadastro de contribuintes das esferas municipal e estadual, certidão negativa de débitos, de tributos e contribuições federais e certificado de regularidade do FGTS – CRF.

Essas são exigências compreensíveis, afinal, seria contraditório participar de uma concorrência pública se as obrigações com essas esferas não estiverem em dia, não é mesmo? Por isso é tão importante cumprir as regras sobre conformidades na indústria náutica. E isso somente é possível por meio de um sistema de gestão que tenha funcionalidades específicas para a realidade do setor náutico.

Um sistema de gestão pensado para garantir a conformidade da empresa

Um software ERP tem todas as funcionalidades necessárias para garantir a conformidade na indústria náutica. Naturalmente que ele sozinho não resolve as exigências listadas em uma licitação, por exemplo, mas é uma ferramenta essencial nesse processo. Juntamente ao trabalho de gestão, contabilidade, financeiro, jurídico e, claro, de produção, é possível ser um bom concorrente.

O fato é que um software ERP é capaz de organizar todos os dados financeiros, facilitar os trâmites legais (como rotinas fiscais e demais exigências), auxiliar no controle de produção e na integração dos setores, cuidar dos documentos, das vendas e do estoque. Com tudo isso alinhado, organizado e em dia, os custos diminuem, a possibilidade de lucro aumenta e a chance de ofertar um melhor valor na concorrência é maior.

Isso porque, em geral, as licitações ocorrem pelo método do menor preço global e você sabe que só é possível vender por menos que a concorrência se os custos internos forem melhor otimizados. Assim, um software ERP, aliado a uma boa estratégia de gestão, pode auxiliar. Além, é claro, de contribuir com o ponto central do nosso artigo: as conformidades na indústria náutica.

Então, se você quer ter custos controlados, processos qualificados, produção bem acompanhada e, consequentemente, ganhar a possibilidade de participar de uma chamada pública para oferecer suprimentos à Marinha, por exemplo, conforme demanda que parece ser possível para os próximos anos, vale investir em um software de gestão empresarial que auxilie nesse desafio.

A Brasão tem a tecnologia que você precisa para todas essas necessidades do setor náutico. Por meio do ERP Radar Empresarial, o seu negócio tem acesso a módulos específicos para a realidade da sua empresa, tanto para participar de concorrências públicas quanto, simplesmente, para deixar em dia os desafios do trabalho de gestão.

Entre em contato com a gente e saiba melhor sobre como podemos auxiliar. Se preferir, fique à vontade para deixar o seu comentário no espaço abaixo! Aliás, a caixa de comentários está aberta também para quem quiser fazer perguntas ou trocar experiências sobre o tema que abordamos aqui. Estamos sempre à disposição para conversar!

ERP na indústria

 

Referências

¹ Folha de S. Paulo

 

 

 

² Portal Serviços Marítimos

Deixe seu comentário

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.