Blog

Por que manutenções corretivas não são a melhor opção?

Gestão Industrial 24.08.2016 5 minutos de leitura Voltar

Todo e qualquer equipamento precisa de cuidados para manter a sua operação normal e evitar paradas e acidentes. Esses cuidados que as máquinas carecem são as chamadas manutenções e devem ser feitas periodicamente. Podemos dividir as intervenções realizadas nas máquinas em três tipos distintos de manutenção: corretiva, preventiva e preditiva.

A grande maioria das pessoas conhece a diferença entre cada um dos tipos citados, sabendo que se deve dar preferência às manutenções preventiva e preditiva. Mas por que as manutenções corretivas não são a melhor opção? Como elas podem afetar a operação de uma empresa? Confira a seguir as respostas para essas perguntas e muito mais!

O que são as manutenções corretivas?

A manutenção corretiva é o tipo de manutenção que visa atuar no equipamento para corrigir uma falha, quebra ou restaurar uma perda de desempenho. Como o próprio nome diz, utiliza-se o equipamento até o momento da quebra/falha, então se faz as devidas intervenções para conserto. É importante saber que as manutenções corretivas não são necessariamente procedimentos de emergência, pois podem ser também para a correção de um desempenho deficiente.

Quais os tipos das manutenções corretivas?

Essas intervenções podem ser divididas em duas classes:

Manutenção corretiva não planejada

Correção de uma falha aleatória em que não existe tempo para preparação do serviço a ser feito. Representa a correção de uma quebra que mantém um equipamento fora de serviço. Geralmente as manutenções corretivas não planejadas implicam em altos custos, podendo levar a perdas de produção ou qualidade do produto ou serviço prestado.

Manutenção corretiva planejada

Ocorre quando se nota que o equipamento não está tendo a performance desejada ou não está trabalhando conforme se espera. Este tipo de manutenção é mais barata e mais rápida quando comparada com a não planejada, visto que a máquina permanece em operação, porém com um desempenho deficitário.

É importante saber que o planejamento da manutenção corretiva deve ser feito o quanto antes, pois a demora para solucionar o problema pode levar a uma quebra, aumentando a extensão dos danos e do tempo para reparo.

Quais as desvantagens das manutenções corretivas?

Este tipo de manutenção não possui nenhuma vantagem, pois visa somente corrigir uma quebra e colocar o equipamento novamente em operação. Dentre as desvantagens das manutenções corretivas, podemos citar:

Equipamento fora de operação por tempo indeterminado

A manutenção corretiva não possibilita determinar o tempo gasto para a solução do problema e o tempo em que o equipamento ficará fora de operação. Mesmo nas manutenções corretivas planejadas, não é possível determinar o tempo: estipula-se somente quando será feita a intervenção.

Necessidade de maior estoque

Este tipo de manutenção carece que a empresa tenha um estoque maior. Isto porque as quebras são aleatórias, logo, não podem ser determinadas, então necessitam que se tenha diversos itens e componentes em estoque para uso imediato para solução de falhas.

Maior custo

O gasto para corrigir um equipamento é significativamente maior quando comparado com os custos das intervenções preventivas. Além disso, as quebras fazem com que os equipamentos permaneçam fora de operação, prejudicando as tarefas desempenhadas ou a produção, impactando nos resultados e lucros da empresa.

As manutenções corretivas nunca são vantajosas e sempre trazem perdas para a empresa. Deve-se manter programas de manutenção preventiva e preditiva, pois garantem a operação e a confiabilidade dos equipamentos, e todas as intervenções necessárias são planejadas e não interferem na produção ou nos serviços da empresa.

Percebeu como as intervenções corretivas não são a melhor opção? Então compartilhe nas redes sociais e ajude seus colegas a entenderem também!

Deixe seu comentário

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.