Gestão Financeira

Investimentos financeiros para empresas: veja por que utilizá-los

Quando uma empresa sinaliza que vai investir, logo pensamos que se trata da expansão das unidades ou do desenvolvimento de um novo produto, não é? Porém, é possível ampliar o significado desse verbo quando se trata do meio corporativo e os investimentos financeiros para empresas são um exemplo disso. Afinal, empresas também podem, e devem, investir para aumentar a sua renda!

 

Fazer aplicações financeiras é uma maneira de garantir mais lucro para o negócio ou, ainda, de deixar o caixa equilibrado quando as finanças estão no vermelho. Por exemplo, se os resultados da empresa são positivos, os recursos alcançados a partir dos juros com as aplicações acabam oferecendo um gás a mais no orçamento, o que é essencial para quem quem expandir.

 

Por outro lado, se o momento é preocupante e o resultado operacional está no vermelho, isto é, as operações do negócio estão gerando mais despesas do que receita, os investimentos financeiros para empresas podem ser uma boa solução para manter o caixa equilibrado. Dessa forma, essa alternativa pode acabar salvando as contas do empreendimento em um período negativo para as operações.

Quais são os principais tipos de investimentos financeiros para empresas

É claro que, para contar com os benefícios dos investimentos financeiros para empresas, é necessário ter cuidado a fim de escolher uma opção que se enquadra no perfil e no planejamento do negócio, considerando fatores como risco e previsão de rendimentos. A primeira escolha a fazer é em relação à modalidade da aplicação, que pode ser de renda fixa ou variável.

Renda fixa

No caso das opções de renda fixa, o rendimento ou o formato do cálculo desse valor são definidos no momento em que o contrato é realizado. A remuneração pode ocorrer de duas formas: pré-fixada, quando o valor ou a taxa de retorno já são estabelecidas; ou pós-fixada, quando esses fatores serão pagos de acordo com algum índice, como a taxa Selic e o CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

 

Com a renda fixa, o empreendedor tem mais segurança para aplicar o dinheiro da empresa, já que sabe antecipadamente quanto e quando deve receber. Aliás, esses valores independem do resultado do negócio. Dessa maneira, tendo lucro ou prejuízo, o valor recebido pelo investidor é o mesmo, ou seja, aquele fixado no ato da contratação. 

 

Alguns exemplos de aplicações em renda fixa são os certificados de depósito bancário, os fundos de investimento, as debêntures, a poupança e o Tesouro Direto (títulos públicos federais). A segurança sobre o valor recebido, como vimos, é a maior vantagem desse modelo, já que as taxas são fixas. Por isso, se você busca baixo risco nos investimentos financeiros para empresas, essa é uma boa opção.

Renda variável

Nas aplicações de renda variável, ao contrário da renda fixa, o cálculo da rentabilidade não é definido previamente. É isso que ocorre no mercado de ações, por exemplo. Os preços mudam conforme o humor do mercado e, desse modo, quanto melhor ele estiver, maior o lucro distribuído aos investidores. Já se estiver ruim, menos lucro ou até prejuízo para os donos dessas ações.

 

São essas oscilações, causadas por fatores impossíveis de prever, que tornam as aplicações em renda variável um tipo de investimento com maior risco, já que os resultados são imprevisíveis. É claro que essa característica pode ser vista tanto de forma negativa quanto positiva. Afinal, assim como pode haver prejuízo, também há a possibilidade do retorno ser muito maior do que o esperado.

 

O mercado de ações, como vimos, é um exemplo de aplicação em renda variável para investimentos financeiros para empresas. Outros modelos são os fundos de ações, os fundos imobiliários, o FOREX (mercado de câmbio) e o mercado de opções. Quem prefere correr um risco maior para alcançar um retorno potencialmente acima do esperado, pode encontrar na renda variável uma boa alternativa.

 

Cuidados necessários para investir no mercado financeiro

Além de conhecer os tipos de investimentos financeiros para empresas e escolher o mais adequado para o seu negócio, é importante ter outros cuidados para investir em aplicações. Um ponto crucial, por exemplo, é buscar o apoio de corretoras ou outros parceiros que prestem orientações sobre esse tipo de investimento, principalmente em se tratando das aplicações com renda variável.

 

Manter as informações contábeis organizadas também é essencial, já que documentos como o DRE (Demonstração do Resultado do Exercício), o balanço patrimonial, a declaração de faturamento e as alterações contratuais são solicitados quando a empresa ingressar nesse mercado. Assim, o indicado é ter tudo atualizado, com informações corretas e seguras.

 

Nesse sentido, aliás, a Brasão pode ajudar você! Nós oferecemos o ERP Radar Empresarial, que conta com o módulo Radar Financeiro, solução ideal para organizar e controlar as finanças do seu empreendimento, além de gerar relatórios de forma rápida, segura e confiável. Acesse o nosso site ou entre em contato com a nossa equipe para saber mais!

 

Esperamos que este artigo tenha sido útil para que você invista de forma segura e vantajosa para o seu negócio! Se você tiver outras dúvidas sobre investimentos financeiros para empresas, deixe seu comentário aqui embaixo. Nós estamos à disposição para ajudar!

Você deve gostar também
Controle de estoque e gestão financeiro: entenda a relação
Controle de estoque e gestão financeira: entenda a relação
O que é conciliação bancária e como funciona esse processo
5 dicas para otimizar os processos de faturamento da empresa

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web